Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 16 de dezembro de 2012

Bolo de castanhas | Ovos nevados

Um brinde com chá de gengibre para celebrar o Terra Madre Day 2012!


No último dia 9 éramos 9 amigas reunidas em minha casa para comemorar o Terra Madre Day 2012, na sequência das degustações que venho preparando desde 2011. Como em outubro o encontro foi no último domingo do mês, não encontrei data em novembro e acabei deixando para o início de dezembro.

Mas vamos ao Terra Madre Day. É uma comemoração de âmbito mundial, mais de mil espalhadas por 162 países, que abrange desde cidades inteiras, bairros, grupos familiares e de amizade, para celebrar o alimento bom, limpo e justo que resume os objetivos do movimento Slow Food, fundado na Itália há 26 anos em 10 de dezembro. Nesse arco conceitual do alimento está o comer local e a tradição reverenciada.

Nossa reunião está inscrita no site Terra Madre e a ele vou endereçar algumas imagens registradas, que farão parte da divulgação internacional..

Para essa celebração escolhi duas receitas retiradas do caderno nº 5, de 1920. Sem dúvida, duas receitas provenientes de Portugal, que reafirmam nossa herança cultural: o bolo de castanhas portuguesas e os ovos nevados, que teem nos seus ingredientes a fórmula da confeitaria tradicional dos primeiros colonizadores no Brasil: ovos, leite, açúcar. Então, vamos a elas:


Bolo de castanhas


Precisei "traduzir" a receita original, pois a quantidade de castanhas era medida por unidade: 60 castanhas, que poderiam variar bastante de tamanho. Portanto, transformei em peso das castanhas já cozidas e descascadas. Alterei a proporção castanhas/açúcar/gordura e também o tipo de gordura, que na origem era animal e hoje é vegetal. Acescentei fermento. Ficou assim, agora testada e aprovada:

1 quilo de castanhas portuguesas cozidas e descascadas (corresponde a aproximadamente 1,5 quilo cruas, com casca)
250g de açúcar
100g de margarina (ou manteiga)
8 ovos
1 colher (chá) de essência de baunilha
1 colher (sopa) de fermento em pó

Bate-se muito bem as gemas com o açúcar, acrescenta-se a margarina, a baunilha e depois as castanhas esmagadas ou trituradas em processador. Por último, despeja-se as claras em neve, no fundo da qual se desmancha o fermento. Mexe-se delicadamente. Vai ao forno aquecido a 240 graus, em forma untada de margarina.






À direita castanhas cozidas e descascadas e à esquerda depois de trituradas.
Gostei do resultado com as castanhas que triturei em processador manual.






A massa com todos os ingredientes, pronta para despejar na forma e ir ao forno.



O resultado, inteiro e a aparência de esponja nas fatias cortadas.
 













Ovos nevados

6 ovos
120g de açúcar
2 litros de leite
1 pitada de sal
raspa de 1 limão

Coloca-se o leite com 100g de açúcar para ferver em caçarola funda, mexendo sempre até reduzir à metade. Enquanto isso, bate-se as claras em neve, colocando-se nelas 1 pitada de sal, 1 colher (sopa) de açúcar e raspa de um limão.
Tira-se com uma colher uma porção da clara batida e com outra colher faz-se com que ela tome a aparência de um ovo, que se deita com cuidado no leite fervendo para cozinhar, cuidando de virá-la para ficar cozida nos dois lados. Retira-se e coloca-se em peneira ou escorredor para escorrer o excesso de leite. quando todos estiverem prontos, retira-se o leite do fogo para esfriar. Quando estiver morno, junta-se as gemas mal batidas e leva-se novamente ao fogo, mexedo sempre, para engrossar. Arruma-se os "ovos" em prato ou tijela rasa e despeja-se por cima o creme feito com o leite e as gemas.








Ferver o leite com açúcar até reduzir à metade.



 

Cozinhar no leite as claras em formato de "ovo"  e colocar em escorredor ou peneira para retirar excesso de leite.





Arrumar em vasilha adequada os "ovos" e em seguida despejar por cima o creme leve feito com o leite remanescente e as gemas batidas.




















    






Da esquerda para a direita: Ana Luiza, Marilene, Isabel, Patrícia, Cláudia, Marly, Rosana.




Rosana e Ana Tomazoni exibem  a cachaça de cambuci junto da bandeira do Terra Madre.




Eu me juntei à turma do lado esquerdo da mesa.
 



Cláudia e Marly divertiram-se com as brincadeiras feitas com o cordão vermelho em homenagem ao Natal.



Meu agradecimento sincero às amigas que colaboraram para encerrar o ano de 2012 com alegria e bom humor. Aliás, esse é um mote que emprestei do saudoso casal Mindlin 
para estar sempre de bem com a vida: 
"Não faço nada sem alegria".

Saiba mais sobre o Slow Food lendo/assistindo matéria publicada em
www2.camara.leg.br/.../394187-A-HISTÓRIA-DO-SL...Em cache


Nenhum comentário:

Postar um comentário